quinta-feira, 10 de maio de 2012

LUMEN, LUX, JUBAR

LUZ, em latim, dentre tantos vocábulos para designá-la, podemos citar LUMEN, LUX e JUBAR, porém, com as seguintes distinções:

LUMEN designa a luz ou radiação luminosa como inerente, agregada ao corpo luminoso que a emite.

LUX designa a luz como independente do corpo que a despede ou emite, como se fosse uma substância autossuficiente, subsistente independente do corpo luminoso. Por outra, lux é a claridade produzida pelo corpo luminoso, mas considerada em abstrato e independente deste corpo que a emite.

Para exemplificar, o sol, quando desponta no horizonte, apresenta à vista dos homens a sua LUX: lux solis. Quando, porém, os olhos fitam diretamente o corpo celeste, o que se vê é o LUMEN: lumen solis.

Lumen Christi, nome de uma livraria católica do Mosteiro Beneditino do Rio, significa exatamente: Radiação luminosa que vem de Cristo, Luz inerente a Cristo, Luz ou luminosidade que Cristo porta em si mesmo.

Lumen, por ser a radiação luminosa inerente ao corpo emitente, tem outros significados em latim, quando no plural - LUMINA -, podendo significar AS LUZES, OS OLHOS, AS JANELAS, A GLÓRIA, A HONRA, O ORNAMENTO, etc., todos referentes a esplendor, a brilho ou a passagens por onde entram.

Lux, por ser considerado nome da matéria, da substância luminosa, carece de plural.

JUBAR é palavra poética para significar a luz que um grande corpo celeste envia à terra, mas refere-se, principalmente, à luz do planeta Vênus. É por isso que significa Estrela vespertina ou d'alva, isto é, o planeta Vênus.

Paulo Barbosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário