quinta-feira, 2 de junho de 2011

REGRAS PARA O PRONOME RELATIVO NA SUBORDINADA

Uma das subordinadas é a adjetiva ou relativa. Esta é introduziada pelo pronome relativo - que -, em latim - qui, quae, quod. Vejamos a declinação destes:

Qui, Quae, Quod Masculino
CasosSingularPlural
Nom.quiqui
Gen.cuiusquorum
Dat.cuiquibus
Ac.quemquos
Abl.quoquibus


Qui, Quae, Quod Feminino
CasosSingularPlural
Nom.quaequae
Gen.cuiusquarum
Dat.cuiquibus
Ac.quamquas
Abl.quaquibus


Qui, Quae, Quod Neutro
CasosSingularPlural
Nom.quodquae
Gen.cuiusquorum
Dat.cuiquibus
Ac.quodquae
Abl.quoquibus


Há duas regras básicas para a aplicação do pronome relativo introdutor de oração subordinada adjetiva:

1. O caso para que vai depende da função sintática que exerce na oração subordinada.

2. O gênero (masculino, feminino ou neutro) e o número (singular ou plural) dependem do antecedente.

De acordo com estas regras vejamos alguns exemplos:

1º EXEMPLO:

O HOMEM QUE VEIO ERA BOM

Neste período há duas orações: 1ª - a oração principal: O HOMEM ERA BOM; 2ª - a oração adjetiva ou relativa: QUE VEIO.

O conectivo QUE exerce a função subjetiva, pois se for renominado temos O HOMEM VEIO. Então, em latim, deverá estar no nominativo, pela primeira regra. O gênero e o número, todavia, devem concordar com o seu antecedente, conforme a segunda regra. Assim temos:

HOMO QUI VENIT ERAT BONUS


2º EXEMPLO:

AS ÁRVORES QUE VISTE ERAM BELAS

AS ÁRVORES ERAM BELAS é a oração principal e QUE VISTE, a relativa. Este QUE, sendo renominado, será AS ÁRVORES, seu antecedente. Vistes o que? As árvores. Logo, o pronome exerce a função de complemento verbal direto e deverá, então, estar no caso acusativo (1ª regra). O gênero e o número devem concordar com árvores, feminino e plural (2ª regra):

ARBORES QUAS VIDISTI ERANT BELLAE


3º EXEMPLO:

O TEMPLO AO QUAL DESTE O PRESENTE ERA BELÍSSIMO

O TEMPLO ERA BELÍSSIMO é a oração principal e AO QUAL DESTES O PRESENTE é a subordinada adjetiva. O pronome relativo é QUAL e está antecedido de ao, fusão da preposição a mais o artigo masculino o, devido à regência do verbo destes. Quem dá, dá alguma coisa para alguém. 

Renominando o pronome, teremos AO TEMPLO DESTES O PRESENTE ou DESTES O PRESENTE AO TEMPLO e vemos que AO QUAL é complemento indireto do verbo, indo o pronome para o caso dativo, portanto. Depois, a segunda regra, a da concordância genérica e numérica, já sabemos:

TEMPLUM CUI DEDISTI DONUM ERAT BELLISSIMUM

4º EXEMPLO:

AS ÁRVORES DAS QUAIS VIMOS OS FRUTOS NÃO SÃO GRANDES

A oração principal é AS ÁRVORES NÃO SÃO GRANDES e a subordinada adjetiva DAS QUAIS VIMOS OS FRUTOS. Renominando o pronome teremos DAS ÁRVORES VIMOS OS FRUTOS ou VIMOS OS FRUTOS DAS ÁRVORES, e chegamos à conclusão que DAS QUAIS exerce aí a função de adjunto adnominal, tendo de ser colocado, em latim, no caso genitivo:

ARBORES QUARUM VIDIMUS FRUCTUS NON ERANT MAGNAE


5º EXEMPLO:

A TERRA DA QUAL VIESTE É FORMOSA

A TERRA É FORMOSA é a principal e DA QUAL VIESTE é a subordinada relativa. Renominado QUAL teremos DA TERRA VISTE ou VIESTE DA TERRA, onde 'da terra' é um adjunto circunstancial, denotador de lugar donde. A maioria dos adjuntos circunstanciais ou adverbias, em latim, vai para o caso ablativo, e é neste que se colocará o pronome relativo:

TERRA A QUA VENISTI EST FORMOSA

6º EXEMPLO:

A MULHER COM QUEM VIESTE ERA BELA

A MULHER ERA BELA, a principal e COM QUEM VIESTE é a subordinada. Renominando o pronome QUEM teremos COM A MULHER VIESTE ou VIESTE COM A MULHER. "Com a mulher" é adjunto adverbial de companhia, logo, o COM QUEM também o é. Como a maioria dos adjuntos adverbiais vai para o ablativo, também aqui o pronome se colocará neste caso:

FEMINA CUM QUA VENISTI ERAT BELLA


7º EXEMPLO:

O REI PELO QUAL FUI CHAMADO É BOM

Principal: O REI É BOM. Subordinada: PELO QUAL FUI CHAMADO. Renominando o QUAL teremos PELO REI FUI CHAMADO ou FUI CHAMADO PELO REI. Ora, este 'pelo rei' é agente da passiva, ou seja, é o agente de causa eficiente, sendo, portanto, adjunto circunstancial. Logo, irá para o ablativo:

REX A QUO FUI VOCATUS EST BONUS

Paulo Barbosa.

Um comentário:

  1. No último exemplo, o "fui chamado" não seria "vocatus sum"? No quarto exemplo, a palavra "fructos" não deveria vir no acusativo "fructos" uma vez que é objeto direto? Neste mesmo exemplo, "são" foi traduzido por "erant". Fico grato pela atenção.

    ResponderExcluir